E-Mail: : prodermesaude@prodermesaude.com.br
  Contato : +55 21 98392-5911

skin tears

Skin Tears (lesão por Fricção)

Uma lesão Subestimada

São lesões que afetam principalmente os extremos de idade, idosos e recém-nascidos, porém podem acometer qualquer pessoa que possuir fatores de risco que deixem a pele mais frágil. De natureza traumática, provocadas por forças de fricção apenas, ou associada a forças de cisalhamento (geradas pela gravidade), provocam dor e desconforto, impactando diretamente na qualidade de vida, além de potencializar o risco a infecções.

Por características, são agudas e rasas, que se limitam à Derme, podendo ser de espessura parcial (quando afetam apenas a epiderme) ou de espessura total (quando afetam a derme e epiderme simultaneamente), com presença ou não de retalho. Geralmente ocorrem com maior frequência (80%) em membros superiores e inferiores (braços e pernas), podendo aparecer em região dorsal e glúteos. Apesar da característica aguda, podem cronificar dependendo da vulnerabilidade do paciente.

skin tears 1

Inúmeros são os fatores que colaboram para o surgimento de Skin Tears, dentre eles destacamos os fisiológicos como, os extremos de idade, mobilidade alterada, púrpura senil, hematomas (aumenta o risco em quase 8x mais), diabetes mellitus, desnutrição, doenças cardíacas ou circulatórias, doenças respiratórias, obesidade, skin tears prévia, dente outras. Como riscos ambientais e físicos estão na relação as condições climáticas, traumas ocorridos devido à objetos mal posicionados no ambiente (móveis por exemplo), uso de cadeiras de rodas, transferências ou reposicionamentos indevidos do paciente no leito, curativos aderentes e etc.

A prevenção ainda continua sendo o melhor tratamento, devem ser implementadas ações que promovam um controle da ingestão de líquidos ideal ao paciente, dieta equilibrada com valores nutricionais adequados ao estado metabólico, cuidados com o ambiente em que o paciente convive (removendo possíveis objetos que possam ocasionar traumas), controle da diabetes mellitus e outras comorbidades, vigilância intensa à pacientes restritos ao leito, implementações de cuidados pertinentes à proteção da pele no momento de transferências da cama para a cadeira (vice-versa) ou reposicionamento no leito. Para cuidados preventivos diretos com a pele, orientamos a lubrificação efetiva, com cremes hidratante, de preferência sem perfumes, uso de sabonetes com PH neutro ou levemente ácido, evitar os banhos prolongados e extremamente quentes e exame minucioso e rotineiro de toda a pele.

Devido a sua característica de superficialidade, muitos cuidadores e até mesmo profissionais da área não dão o real valor que essa lesão merece, sendo dessa forma subestimada.  Além de todo o desconforto e dor a Skin Tears pode ser uma porta aberta a microrganismos, deixando o paciente mais susceptível a infecções, complicando seu estado geral. Desta forma a Skin Tears é uma entidade patológica a qual devemos dar toda a atenção, primariamente a sua prevenção e em caso de lesão ao seu tratamento específico.

skin 2

Se o seu paciente desenvolveu uma Skin Tear, chame um especialista. Nós da Proderme associamos o laser terapêutico para ajudar na cicatrização.

Referências:

  • Caville K, Lewin G, Newall N, Haslehurst P, Michael R, Santamaria N, et al. STAR: a consensus for skin tear classification. Prim Intention. 2007;15(1):8-25.
  • LeBlanc K, Baranoski S. Skin tears: State of the science: Consensus statements for the prevention, prediction, assessment, and treatment of skin tears. Adv Skin Wound Care 2011;24(9):2-15.
  • Foster RS, Chan J. The Fixomull skin support method for wound closure in patients with fragile skin. Aust J Dermatol 2011;52:209-11.
  • Amaral AFS, Pulido KCS, Santos VLCG. Prevalence of skin tears among hospitalized patients with cancer. Rev Esc Enferm USP 2012;46(Esp):44-50.
  • Cuzzell J. Wound assessment and evaluation: Skin tear protocol. Dermatol Nurs. 2002;14(6):405.
  • Sanada et al. Geriatric Gerontol int. 2015;15:1058-63
  • Chang, Carville, tay. Int Wound. 2016; Epub ahead of print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *